Gaeco prende ex-detento suspeito de envolvimento em esquema de propinas cobradas por policiais em cadeia do PR

  • 10/04/2024
(Foto: Reprodução)
Operação Securus Via investiga crimes de corrupção passiva praticados por um policial penal, um policial militar e um servidor terceirizado Deppen em Laranjeiras do Sul. g1 tenta identificar defesas dos investigados. Gaeco prende ex-detento suspeito de envolvimento em esquema de propinas cobradas por policiais em cadeia do PR Ministério Público/Divulgação O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Paraná (MP) prendeu em flagrante um ex-detento suspeito de ter envolvimento em um esquema de propinas cobradas por policiais na cadeia pública de Laranjeiras do Sul, região central do Paraná. De acordo com o MP, no ano passado um policial penal, um policial militar e um servidor terceirizado do Departamento de Polícia Penal do Paraná (Deppen) foram denunciados por exigir vantagens indevidas de presos para viabilizar transferências e conceder privilégios na unidade prisional. Os crimes ocorreram em novembro de 2022, segundo o MP. Saiba mais abaixo. ✅ Siga o canal do g1 PR no WhatsApp ✅ Siga o canal do g1 PR no Telegram A prisão do ex-detento aconteceu nesta quarta-feira (10) em Cascavel, no oeste do Paraná, durante a segunda fase da operação, chamada de Securus Via. No total, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão. "Nesta segunda fase, a operação buscou identificar pessoas que dissimularam a movimentação e o recebimento das propinas pelos agentes públicos. O MP obteve indícios de que um advogado e um ex-detento intermediaram essas transações, praticando o crime de lavagem de capitais", afirma o Ministério Público. Os mandados foram cumpridos em endereços relacionados aos investigados, sendo um em Cascavel, e três em Laranjeiras do Sul, em residências e um escritório de advocacia. Foram apreendidos 19 cartuchos de munição, R$ 6 mil em espécie, uma camisa da Polícia Civil, um giroflex, aparelhos de telefone celular, além de equipamentos eletrônicos diversos e documentos que farão parte das investigações subsequentes. Os nomes dos investigados e dos denunciados não foram revelados. O g1 tenta identificar as defesas deles. Leia também: Sergio Moro: Quais os argumentos dos desembargadores no julgamento que manteve mandato do senador? Polícia: Mulher perde R$ 145 mil após golpistas se passarem por funcionários de banco e realizarem transferências Santa Terezinha de Itaipu: Professor da rede estadual é preso por suspeita de assédio sexual contra adolescentes no Paraná Gaeco prende ex-detento suspeito de envolvimento em esquema de propinas cobradas por policiais em cadeia do PR Ministério Público/Divulgação Investigação A investigação iniciou a partir do recebimento de documentos da Corregedoria do Deppen, apreendidos na Operação Sem Privilégios, realizada pelo Deppen em dezembro de 2022. Em setembro de 2023 a Justiça emitiu cinco mandados de prisão preventiva e dez de busca e apreensão no âmbito da Operação Securus Via. "Entre os alvos dos mandados de prisão, estavam um policial penal e um ex-agente terceirizado do Deppen, que teriam concedido benefícios aos presos da Cadeia Pública de Laranjeiras do Sul em troca de propinas. Os outros três são um preso e dois ex-detentos que teriam feito os pagamentos. Foi identificado o recebimento de pelo menos R$ 50 mil reais pelos agentes públicos", afirmou o MP, na época. Dois policiais militares também foram investigados suspeitos de receberem vantagens indevidas, como serviços de pedreiros e pintores supostamente realizados por detentos em suas casas, e terceiros que teriam emprestado suas contas bancárias para recebimento dos valores. "Os agentes públicos são investigados pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de ativos – já que tentaram dissimular os repasses de valores usando outras pessoas para o recebimento das propinas – e prevaricação qualificada, por permitirem que vários presos ficassem em posse de aparelhos celulares. O policial penal teria ainda utilizado mão de obra de presos para reformar sua própria casa", disse o MP, na época. Atualmente, segundo o Ministério Público, o policial penal e o ex-agente terceirizado do Deppen, que foram presos preventivamente em setembro de 2023, receberam liberdade provisória. VÍDEOS: Mais assistidos do g1 PR Leia mais notícias da região em g1 Campos Gerais e Sul

FONTE: https://g1.globo.com/pr/campos-gerais-sul/noticia/2024/04/10/gaeco-prende-ex-detento-suspeito-de-envolvimento-em-esquema-de-propinas-cobradas-por-policiais-em-cadeia-do-pr.ghtml


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

No momento todos os nossos apresentadores estão offline, tente novamente mais tarde, obrigado!

Anunciantes